Amarante - Desenhar à Descoberta do Património


Integrado na Bienal Internacional de Ilustração Solidária da AJUDARIS, no dia 9 tive o privilégio de orientar o workshop de urban sketching. Quando a presidente da associação, a Rosa  me convidou, confesso que fiquei surpreso e com receio, sobretudo porque já conhecia o cartaz de ilustradores vindos de todo o mundo. Cada um melhor que o outro. Mas a causa não deu tempo para medos, sobretudo, quando se tem o total apoio de um dos grupos mais dinâmicos do país - o POSK. 
 
Cheguei na 6ª feira ao final do dia, mas deu para perceber logo o ambiente fantástico que se estava a viver. À noite, o refeitório dos Paços do Concelho parecia a Torre de Babel: Argentina, Espanha, Alemanha, Itália, Portugal...entre outras nacionalidades. Mas a língua oficial foi o desenho, a forma de comunicação mais universal e democrática.
Estava ali grande parte dos ilustradores finalistas, que durante uma semana orientaram um conjunto de workshops direcionado a crianças e adultos. Todos trabalharam em regime de voluntariado.
 
o 1º desenho em Amarante - antigo claustro - actual Museu Souza-Cardoso
 
 
 
O workshop de desenho, aconteceu no sábado, com um grupo fantástico, a maioria amigos, mas felizmente com alguns estreantes. Para além de falar um pouco do meu percurso enquanto "desenhador vadio", lancei quatro exercícios, quatro formas distintas de abordar o desenho de património material e imaterial. Os resultados foram surpreendentes. Agradáveis surpresas. Grande parte dos desenhos foram doados à AJUDARIS para que possam leiloar e apoiar a causa. A todos os participantes, o meu muito obrigado.
 
Este foi o desenho que fiz na esplanada, na Praça da República, enquanto esperava os participantes.
 
 
 
Destaco ainda mais pontos altos do dia: 1º, graças a este workshop, arrancará em breve o grupo informal de urban sketchers de Amarante;  2º, a jovem ilustradora vencedora da Bienal foi a portuguesa EVA Evita, que também é urban sketcher e foi fundadora dos urban sketchers norte com o Tiago Cruz.
 
Não vos canso mais, fica aqui a habitual foto do dia, e alguns desenhos.
Brevemente partilho os restantes desenhos.
 
 
Fotografia do grupo da manhã. 
 
 
 
 
 



 

 

 


 


No final do dia, consegui fazer estes 3 desenhos para doar
 
 
 
 
 
 
 
 
A Diaba de Amarante aos olhos do Tomás. Desenho de um a peça de escultura do Museu. O desenho foi oferecido pelo Tomás, aos meninos da AJUDARIS, que em breve terão um novo espaço no Porto.
 
 
 
 
Uma coisa é certa, foi um dia, onde nada ensinei e tudo aprendi, sobretudo a dimensão solidária dos urban sketchers. Obrigado a todos

Comentários

  1. Que experiência interessante deve ter sido! E que em boa companhia estavas. :-)
    É bom ver nascer esse grupo de Amarante. Parabéns!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares