terça-feira, 25 de abril de 2017

Convento Velho de Penafirme

Hoje o Tomás pretendia "fazer arqueologia". A escolha recaiu sob o Convento Velho de Penafirme.
As ruínas ficam numas dunas próximo da Praia de Santa Rita. A construção deste templo teve início ainda na 1ª metade do séc. XVI para acolher a Ordem dos Eremitas de Sto. Agostinho.
A sua proximidade ao mar tornou-o vulnerável às inundações e aos saqueadores.
Em 1755, após o a grande terramoto, eis que ocorre o seu total abandono. Após 200 anos ali instalados, os eremitas vêem-se obrigados a procurar um novo lugar para erigir um novo convento, de preferência numa zona alta, longe do mar. O local escolhido foi a Póvoa de Penafirme e ainda hoje lá permanece. Depois de ter sido um seminário, viu as suas instalações ampliadas, albergando uma das maiores e escolas do país: Externato de Penafirme.
 
As ruínas do Convento Velho lá permanecem, vendo-se apenas um piso, já que os restantes, encontram-se "engolidos" pela areia das dunas e pela vegetação. As pedras lá continuam à mercê do vento, da chuva e da maresia, mas os piores ataques vêm de gente inculta e como hoje é dia de liberdade, atrevo-me a dizer "de gente estúpida", como aquela que apanhámos hoje: um grupo de imbecis que andava a praticar motocross no meio das ruínas, servindo-se das mesmas para fazerem saltos. Sem palavras. Como é que um pai explica um filho a existência de gente assim?
 
Depois da visita e da "investigação" do Tomás, saíram os desenhos.
 
 
 
Desenho do Tomás. Hoje não lhe apeteceu colorir.
 
Apesar de se encontrar em ruína, ainda consegue surpreender-nos com elementos arquitectónicos bastante interessantes, como as cantarias aparelhadas, os arcos romanos com recurso a tijolo cerâmico. Mas o mais interessante é a sua integração na paisagem, tendo como pano de fundo, as dunas, a sul e a poente, a serra a nascente e o mar a norte.

Sem comentários:

Enviar um comentário