quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Caderno novo, Desenhos antigos...



Castro do Zambujal


Começar um caderno novo, por vezes pode trazer-nos agradáveis surpresas. Ao iniciar este caderno deparei-me com um desenho "antigo" que me levou a viajar no tempo e no espaço. O caderno foi-me oferecido pelo brasileiro Edward Wandeur que este em Torres Vedras em setembro passado, quando veio participar no (a)riscar o património (26 de semtembro - cerâmica da Ermegeira). Um dia antes ele ofecereu-me o caderno e de seguida fui dar-lhe a conhecer aquele que terá sido o pimeiro povoado de Torres Vedras, o Castro do Zambujal que remonta à Idade do Cobre. Enquanto o Edward fotografava e filmava, eu decidi estrear o caderno como forma de agradecimento (um hábito que tenho e pretendo manter, nem que seja para incentivar as pessoas a continuarema a oferecer-me cadernos - as finanças lá de casa agradecem). A textura do papel (de qualidade que um desenhador vádio como eu não está habituado), levoou-me a aventurar com a pintura em aguarela. Eu que não gosto ( e não sei) usar cores, até gostei do resultado. Talvez fosse da compania e da beleza do lugar. Estrear este caderno foi uma experiência no mínimo interessante, levou-me a viajar cá dentro e lá fora, mais precisamente a São Paulo, onde conheci o Edward. Uma abraço de Portugal, Edward e obrigado pelo caderno.. venham mais :-)

3 comentários:

  1. gosto muito deste desenho , os riscos são super finos

    ResponderEliminar
  2. muito obrigado pelas vossas palavras. quem já me conhece um pouco, sabe que usar cores nos meus desenhos é um processo complicado :-) mas às vezes até me surpreendo... :-) obrigado

    ResponderEliminar